Resenha – O Coração do Cão Negro

por Jaime de Andruart

O Cão Negro de Clontarf. Conhecido por uma batalha. Nascido entre os gaélicos e criado pelos vikings. Um homem que vaga entre duas culturas sem pertencer a nenhuma.

Nessa graphic novel da Avec Editora, com roteiro de Cesar Alcázar e ilustração de Fred Rubim, seguimos os passos de Anrath, mais conhecido pela alcunha de Cão Negro por conta de ser o único homem de cabelos negros na antiga batalha de Clontarf, após ser contratado por um homem misterioso, conhecido apenas como “Inglês”, para recuperar um antigo artefato chamado Coração de Tadg.

Traído pelo Inglês, que o usa como moeda de troca para obter a ajuda do viking Ild Vuur, velho conhecido de Anrath, o Cão Negro sucumbe à condição de refém e é levado para ser sacrificado em uma ilha na qual, segundo o inglês promete a Vuur, serão encontradas riquezas e poder para comandar todo o mundo.

O que se desenrola lá, porém, está fora dos planos do Inglês e do viking, e o Cão Negro preso acaba se soltando.

E ele morde.

Um prato cheio para quem é fã da temática “espada e magia”, O Coração do Cão Negro traz tudo o que o público quer encontrar em uma história assim: combates sangrentos, personagens brutos, mas profundos, e mistérios que vão além da compreensão dos mortais.
Cesar Alcázar consegue criar uma história que se desenvolve naturalmente sem deixá-la enfadonha. A leitura é relativamente curta: das 64 páginas, 48 possuem diálogo. Uma atenção especial

deve ser dada à seqüência final: nas últimas seis páginas, a narrativa se torna quase que completamente gráfica (a única exceção é o nome de Anrath pronunciado por Ild Vuur). Isso demanda um trabalho em equipe muito bem planejado entre o roteirista e o ilustrador.

Falando no ilustrador, Fred Rubim tem um estilo simples e expressivo, com linhas grossas e duras, que casam muito bem com a realidade em que o Cão Negro vive.

Num aspecto geral, O Coração do Cão Negro é uma boa leitura de fantasia histórica e nos faz lembrar, com personagens como o Inglês e Ild Vuur, da capacidade do ser humano de ser egoísta e mentiroso.

Portanto, se eu fosse vocês, protegeria o Coração de Tadg, pois, se ele cair nas mãos do Inglês, estaremos perdidos em horrores sem fim…

Sobre os Autores

Cesar Alcázar nasceu em Porto Alegre, no ano de 1980. Admirador de Hemingway, Borges e Robert E. Howard, encontrou na literatura uma forma de exteriorizar seus devaneios aventurescos e sombrios. É o autor dos livros “Bazar Pulp – Histórias de Fantasia, Aventura e Horror” e “A Fúria do Cão Negro”, além de ter organizado a antologia “Crônicas de Espada e Magia”. Teve contos publicados em Inglês pelas revistas Heroic Fantasy Quarterly e Swords and Sorcery Magazine. Também atua como editor (Argonautas Editora) e tradutor.

Fred Rubim nasceu em Porto Alegre no ano de 1980, mas foi na longínqua Uruguaiana que ele deu seus primeiros passos e traçou suas primeiras linhas. Descobriu que queria ser desenhista enquanto fazia os próprios gibis para vender na escola. Em seguida, começou a publicar as suas tiras em um jornal da cidade. Formado em Desenho Industrial na Universidade Federal de Santa Maria, trabalha como ilustrador freelancer, desenvolvendo ilustrações e animações para o mercado editorial e publicitário. Contos do Cão Negro é sua primeira publicação no mundo das HQs.

Onde encontrar

A venda no site da editora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *